Foto: Musicoterapia na Terceira Idade

 Terceira Idade; Terceira Chance

       Podemos pensar a terceira idade como uma terceira chance. Uma terceira (e última) chance que você tem de ser feliz, de descobrir quem você é e o que está fazendo aqui.

    Em um primeiro momento, quando você nasce e é criança o seu auto-conceito vem muito do que os outros pensam que você é e lhe atribuem e você acaba achando que você é aquilo que lhe outorgam. Essa é uma falsa identidade, ainda uma falsa felicidade, digamos assim; apesar de toda ternura e leveza de uma criança, ela acaba muitas vezes sufocada pelos pensamentos e padrões alheios, da sociedade, família e meio-ambiente.

    Em um segundo momento, em sua segunda chance, o adolescente e adulto ainda sufocado pelos padrões que lhe determinam serem os corretos e “melhor” pra ele continua toda sua história e caminho por uma estrada que lhe indicaram e ele a segue, “cegamente”, trabalha, luta, busca, e muitas vezes não encontra outra vez a sua própria identidade, a sua própria essência, a verdadeira felicidade.

    Então, chega, finalmente, a sua terceira idade, a terceira chance que lhe foi dada para se buscar, se perceber, se aceitar e se encontrar; descobrir sua verdadeira identidade e assim, onde está a verdadeira felicidade. Essa chance não pode ser desperdiçada novamente. Ela precisa ser vivida, experimentada, questionada. E essa chance é Agora. Não ontem, não amanhã e sim, hoje.

    Veja que belo saber que ainda temos uma grande oportunidade de nos encontrarmos e fazermos o nosso caminho. Não o que disseram pra nós que era melhor, mas o que sentimos agora ser o melhor pra nós nesse momento. O momento ideal para a reflexão, para a busca de soluções internas.

    Às vezes o corpo não consegue muito, mas a mente consegue. Às vezes a mente não consegue muito, mas a alma não desiste nunca. E é essa mesma alma que precisa e deve ser ouvida, não importa em que “chance” você esteja. Não perca tempo de se ouvir, de se perceber, de se encontrar, de se amar, de Ser, realmente, feliz; de dentro para fora e de fora para dentro, em todos os aspectos, de todas as maneiras, Hoje, agora mesmo. A hora é agora. Seja feliz!

    Não deixa a “sua música” morrer dentro de você. Ouça-a, escute-a, sinta-a e viva-a plenamente. Esse é o seu propósito, essa é a nossa meta: “Viver e não ter a vergonha de ser feliz… Cantar e cantar e cantar a beleza de ser um eterno aprendiz.” Letra de Gonzaguinha, sentimentos nossos.

 Mt. Adriana Silvestre