Depressão e a história bíblica de Jonas – Uma analogia   

 Podemos fazer uma correlação entre a história bíblica de Jonas e a cada vez mais conhecida depressão – a “doença do século”.

     Para isso, é necessário que nos relembremos de Jonas, o profeta.

     Segundo conta a Bíblia, Deus (Yaveh) pede para que Jonas vá à cidade de Nínive pregar. Jonas, então, fugindo à ordem do alto, foge e vai à cidade de Társis. Deus então lança ao mar uma grande tempestade, enquanto Jonas, no fundo do navio, dormia um sono profundo. Os marinheiros tiveram medo e clamavam cada um a seu deus, enquanto jogavam ao mar a carga que estava no navio, para o aliviarem

     O mestre do navio chega a Jonas, que dormia, e pergunta: “O que fazes ó tu, que dormes? Levanta-te, clama ao teu Deus.           Talvez ele assim se lembre de nós, para que não pereçamos.” E entre os marinheiros eles tentavam descobrir por causa de quem sobrevinha aquele mal. Lançaram sorte; e a sorte caiu sobre Jonas. Foi então que perguntaram a Jonas: “Por causa de quem nos sobreveio esse mal? Que ocupação é a sua? Donde vens? Qual é a sua terra? De que povo és tu?” Ele respondeu: “Eu sou hebreu e temo ao Senhor, o Deus do céu, que fez o mar e a terra seca.” Os homens se encheram de medo e perguntaram a ele o que ele havia feito, pois sabiam eles que ele fugira da presença do Senhor. E o perguntaram o que fariam para que o mar se acalmasse, porque ele ia se tornando cada vez mais tempestuoso. Jonas então responde: “Levantai-me e lançai-me ao mar e ele se aquietará, porque eu sei que por minha causa veio essa grande tempestade”.

     Jonas foi, assim, lançado ao mar. E o mar cessou a sua fúria. E, assim, Jonas foi engolido por um grande peixe, ao qual esteve três dias e três noites em suas entranhas.

     Dentro do peixe Jonas orou ao Senhor, seu Deus. Quando então já desfalecia sua alma, ele lembrou de seu Deus e fez uma oração. Então, o peixe “vomitou” Jonas em terra.

     Pela segunda vez veio a palavra do Senhor a Jonas dizendo para que ele fosse à cidade de Nínive. Jonas levantou-se e foi a Nínive e cumpriu a sua missão.

     Temos aí em resumo um trecho da história de Jonas, o suficiente para que seja feita uma correlação em relação à depressão.

     -O primeiro ponto que podemos analisar é: Deus pede a Jonas que ele vá à cidade de Nínive pregar. Ele vai à Társis. Jonas vai à contramão do que o sagrado (Deus) indica pra ele. Ele foge da face de Deus (Yaveh), do seu sagrado, do que ele realmente precisava fazer, da sua missão e caminho. Em resultado disso sobreveio a tempestade, a desordem, a auto-anulação de seu potencial, de seu sagrado.

     Qual o melhor caminho a tomar, a pessoa com depressão? Resgatar o seu próprio caminho ao qual foi desviado, perdido. O que diríamos a uma pessoa com depressão? Volte a fazer o que gosta. Resgate aquilo que lhe dá prazer, que te identifica, aquilo que você é. Reforçando, assim, sua auto-estima, o amor a si mesmo. Somente assim estaremos prontos a amar o próximo. Como diz o primeiro mandamento bíblico: “Ame a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a TI mesmo”. Quando você descobrir e realmente sentir o amor divino, estarás pronto pra amar o próximo.

     O que acontece muito nos dias de hoje é que as pessoas estão buscando apenas a subsistência, o “Ter”, deixando o “Ser” de lado. A auto-realização está sendo pra poucos. Você larga o teu gosto pessoal, foge de você mesmo pra assumir o gosto dos outros. Porque dizem que é melhor, porque dá dinheiro.. E você, assim, se abandona, se perde. Começa a descobrir e viver a depressão.

    – Jonas dormiu no fundo do navio, um sono profundo. Um dos sintomas do paciente com depressão é a alteração do sono, tanto pra mais como pra menos: Hipersonia e hiposonia, respectivamente.

     Você pode, também, fugir de outras formas através de artifícios externos, como as drogas, jogo, vícios em geral, radicalismos. Você foge de seu verdadeiro eu, de sua essência, de seu caminho. Você foge, foge, mas chega alguém e te acorda, assim como fizeram com Jonas. Ou então você mesmo “se toca” e percebe que algo está errado. E procura mudar. Aí está o aspecto positivo da depressão. Essa tomada de consciência interna de que algo está errado, pra que você tenha a chance de mudar o seu caminho. Se nada te alertasse pra isso, você poderia passar a vida toda fazendo uma coisa que não foi o seu propósito interno e divino para fazer aqui na Terra. Ou seja, nunca chegaria à sua completude e auto-realização. Como já dizia Abraham Harold Maslow… “Um músico deve compor, um artista deve pintar, um poeta deve escrever, caso pretendam deixar seu coração em paz. O que um homem pode ser, ele deve ser. A essa necessidade podemos dar o nome de auto – realização”. (grifo meu).

     -Outro aspecto importante de ser estudado é em relação ao Auto-sacrifício. Jonas dizia para que o jogassem ao mar: “Me matam, sou um peso, quero morrer.” Esse é um aspecto muito presente na pessoa com depressão. E a culpa está presente, mesmo que inconsciente, porque ela sabe que fugiu do seu caminho, sabe que está errada. A pessoa não pode ficar fugindo se si mesma. Ela tem que se encarar, voltar pra sua auto-realização. Resgatar as coisas simples, porém sagradas. O que você gosta de fazer? O que aconteceu que parou de gostar? Onde está o seu sagrado? Cadê você?.. É incrível o quanto uma pessoa se anula e se perde em sua imensidão profunda e abandonada.

     -Jonas foi para o fundo do mar, dentro do grande peixe. Podemos relacionar ao fundo do poço, a “fossa”, a melhor representação da Depressão. E podemos enxergar o lado positivo disso, como foi dito anteriormente. Porque apenas quando se chega a esse “ponto”, que algumas pessoas perceberão que algo precisa ser feito e mudado. E essa é a chave pra grande mudança interna, que se refletirá, automaticamente, em seu exterior, em todos os aspectos de sua vida. E isso só poderá acontecer quando se parte para o interior de nós mesmo, onde estão guardadas todas as respostas.

     “Aqueles que veneram vaidades mentirosas abandonam o seu amor.” Abandonam a si mesmas, sua essência divina e perfeita.  As pessoas estão acostumadas a viverem “de fora para dentro”, apenas a “casca” exterior e esquecem do verdadeiro sentido do Ser, da realização do nosso Ser divino, transcendental.

     Essa transição não será fácil, a dor e o sofrimento estarão presentes. A dor terá o mesmo sentido positivo de lhe alertar que algo não está indo certo, algo está errado. E é aí que iremos tomar consciência disso e crescer. Por isso, a dor muitas vezes é construtiva.  Então, o único caminho é tomar consciência da essência dela e aprender com ela. A pessoa renasce quando vence a depressão. Você foge, foge e tem que começar do zero novamente. Fazer o que o sagrado te pediu. Buscar sua auto-realização.

     Não negue o seu próprio dom porque não está na moda, porque não dá dinheiro. Se você fizer o que o gosta e é sua missão, não lhe faltará a resposta financeira. Nossa triste moda é imitar os outros. Mas você conhece o seu próprio destino, você sabe onde está a sua realização. Então siga isso. O que você gostaria de ter feito e não fez?  Faça. Sempre é tempo de recomeçar. O medo nos impede de muita coisa, de que alcancemos nossa realização. Então veja o medo como seu amigo. Se você sente aquele friozinho na barriga é porque é pra lá que você tem que ir. Se você for, você sabe, (internamente você sabe) que será melhor. Nada nos é dado “de graça”.  É mais difícil, mas é o caminho. Se você sentar e desistir de lutar pode ser que esteja no caminho de se perder do seu trilho, do seu eixo, da sua realização. Então.. “Vai e não peques mais”. Não cometa os mesmos erros novamente. Não fuja da dor, do medo, nem mesmo do obstáculo.

     O medo é uma reação natural de proteção a si mesmo, do desconhecido. Então ultrapasse-o e o torne conhecido. Não fuja da dor. “Fugir da dor é fugir da própria cura”. Então enfrente-a., aprenda com ela.  O obstáculo? Veja nele a oportunidade de crescer e ser melhor depois de ultrapassado. Então ultrapasse-o. Seja você, se descubra, se conheça, se ame e se respeite. A depressão é uma doença que você permitiu, de certa forma. Você é responsável por ela. E cabe somente a você mudar sua vida, reescrever a sua história.

     Seja o autor de sua própria história e saiba ouvir o seu íntimo, que é Deus falando com você e lhe indicando o caminho. Se permita o silêncio. Ele lhe responderá. Siga o seu caminho, cumpra a sua missão e seja feliz, sempre, que é o que viemos fazer aqui, nesta Terra. Boa Sorte! Que Deus ilumine nossos caminhos para que possamos fazer o que temos que fazer, e ser o que realmente somos: perfeitos, divinos, sagrados.

(2005)

Mt. Adriana Silvestre